Qual é o salário do Tabelião e do Oficial do Registro Público?

Muita gente fica interessadíssima em "Cartórios" por achar que são uma MINA DE OURO... já não consigo contar o sem número de vezes que expliquei a alguns desavisados de que não é só querer "abrir um Cartório"; que na verdade trata-se de um CONCURSO (sim, não é HERANÇA rssrrs) e que a alegada "Mina de Ouro" pode ser na verdade pura ilusão quando não se conhece a realidade da grande maioria dos Cartórios que são DEFICITÁRIOS...

Mas, o que de fato é o SALÁRIO do Tabelião/Registrador? O Oficial fica com o que "sobra" depois de abatidas as despesas relacionadas aos repasses obrigatórios, assim como as despesas que precisa fazer frente para manter em funcionamento o Serviço delegado - que é ESSENCIAL e não pode parar... reza o art. 28 da LNR (Lei Federal 8.935/94):

Art. 28. Os notários e oficiais de registro gozam de independência no exercício de suas atribuições, têm direito à percepção dos EMOLUMENTOS INTEGRAIS pelos atos praticados na serventia e só perderão a delegação nas hipóteses previstas em lei".

Bom, é possível encontrar muitas informações detalhadas sobre os Cartórios diretamente nos sites das Associações (ANOREGs), sendo muito útil destacar as informações deste link (https://www.anoreg.org.br/site/wp-content/uploads/2020/04/Cart%C3%B3rio-em-n%C3%BAmeros-1.pdf) onde podemos verificar, por exemplo, no caso do Rio de Janeiro, que os valores pagos aos Cartórios terão a seguinte destinação:

- 34% de Repasses Obrigatórios (20% FETJ, 5% FUNPERJ, 5% FUNDPERJ, 4% FUNARPEN);
- 40% de Despesas de Funcionamento (Salários e encargos, insumos etc).

Importante ressaltar, por fim, que sobre o seu rendimento o Oficial é tributado como PESSOA FÍSICA (ou seja, 27,5%).